Jornal do Brasil

Futebol & Cia

Futebol & Cia

Renato Mauricio Prado

Apelo ao bom senso

Jornal do Brasil

A proposta do presidente do Cruzeiro à CBF, para evitar que os semifinalistas da Copa do Brasil atuem desfalcados de seus convocados na primeira partida do duelo, é boa e factível. Apoiado pelos dois outros prejudicados (Flamengo e Corinthians), os mineiros sugerem que a rodada marcada para o dia 12 (uma quarta-feira) seja adiada para o dia 13 (quinta-feira) ou então que Dedé, Paquetá e Fagner sejam dispensados após o primeiro amistoso da seleção, nos EUA, podendo assim voltar a tempo de jogar na data original.

O bom senso aprovaria qualquer uma das duas sugestões. Na verdade, se tivesse sido usado na hora da confecção da lista, nenhum dos três teria sido chamado para esses dois caça-níqueis ridículos, desimportantes e imprestáveis em termos de planejamento para a Copa América do ano que vem e a Copa do Mundo de 2022. Quem vai ser provado, de fato, enfrentando americanos e salvadorenhos? Ninguém!

O absurdo se tornou ainda maior no momento em que Tite, sabe-se lá com que intuito, decidiu poupar o Palmeiras (o quarto semifinalista) de qualquer desfalque. Inteligente como é, torna-se inacreditável que não tenha percebido o tamanho da lambança – que sugere um claro favorecimento ao clube de coração do ex-presidente Marco Polo del Nero que, mesmo banido pela Fifa, segue ditando as normas da CBF.

Todo o problema pode ser minimizado, se a CBF aceitar uma das duas sugestões feitas pelo Cruzeiro. Seria o lógico, o óbvio, o mínimo esperado (já que existe ainda o prejuízo em dois jogos do Brasileiro). O problema é que nossos cartolas parecem sempre fazer a pior escolha. Até mesmo quando têm, como agora, uma oportunidade de repará-la. O jeito é aguardar os próximos capítulos dessa novela de péssima qualidade, onde canastrões, como Tite, pontificam como protagonistas.

Mea-culpa pela metade

A maior prova de que o técnico da seleção brasileira sabe que fez uma bobagem colossal é a informação de bastidores, trazida pelo blog de Marcel Rizzo, no UOL, de que, na próxima convocação, não deverão ser chamados jogadores dos finalistas da mesma Copa do Brasil. Ora bolas, por que não resolver então o problema de agora? É tão duro assim admitir que houve um erro crasso? Infelizmente, pelo que se viu, na primeira coletiva de Tite pós-Copa, sim. Ele é ruim de dar mão à palmatória...

Aniversário triste

O Vasco completou 120 anos com poucos motivos para comemorar. Após o decepcionante empate com o Ceará, em São Januário, na segunda-feira passada, os jogadores foram brindados com um sonoro coro de “time sem-vergonha” e, ontem, minuciosa reportagem de Rodrigo Capelo, exibida no Redação SporTV, deixou claro como é dramática a situação financeira do clube e reduzida a possibilidade de que algo possa melhorar.

Eleito presidente numa maracutaia política vergonhosa, Alexandre Campello parece perdido em meio à crise. Fala em contratar um treinador experiente e vitorioso e mal tem como pagar o auxiliar Valdir Bigode, que por ora dirige a equipe. O elenco é fraco, envelhecido e a posição na tabela perigosíssima (apenas um ponto à frente do Z-4).

Eliminado da Copa Sul-Americana e da Copa do Brasil e sem chance de brigar por algo importante no Brasileiro, resta ao Vasco lutar apenas contra o quarto rebaixamento em dez anos. Nunca o Gigante da Colina se apequenou tanto. Triste.

Retrospecto perigoso

Os 23 pontos que o Fluminense somou no primeiro turno o colocam na nona posição da tabela, a dez pontos do G-6 e apenas quatro do Z-4. É somente um ponto a mais do que fez no primeiro turno, em 2013, quando só não caiu porque retiraram pontos da Portuguesa, por uma suspeitíssima escalação irregular de um jogador.

Tal qual o Vasco, o tricolor enfrenta caótica situação financeira. Ainda assim recusou uma proposta de 15 milhões de euros pelo centroavante Pedro. Agiu bem, pois se negociasse o jovem atacante, seu principal destaque, as chances de novo rebaixamento aumentariam exponencialmente. É nos gols de Pedro que reside a esperança de uma vitória logo mais, sobre o Corinthians, no Maracanã. Estádio, aliás, que lhe cobra R$ 1 milhão de aluguéis em atraso. Que situação!

Missão (quase) impossível

Derrotado por 3 a 0, pelo Atlético Mineiro, em pleno Nílton Santos, o que o torcedor do Botafogo pode esperar do jogo de hoje, contra o Palmeiras, no Allianz Parque? O elenco do Verdão está entre os mais fortes do Brasileiro; o do Glorioso, dos mais fracos, entre os chamados grandes. Será Zé Ricardo capaz de tirar algum coelho da cartola, esta noite? Não creio...

Devagar com o andor

Não há dúvidas de que Felipão conseguiu dar uma chacoalhada no time do Palmeiras, que subiu de produção com a sua chegada. Recomendo, entretanto, calma com as análises apressadas de alguns jornalistas que parecem já ter se esquecido do 7 a 1 e o glorificam como novo messias palmeirense. Na última passagem de Vanderlei pelo Flamengo, ele conseguiu cinco vitórias consecutivas e depois... nada. Scolari foi campeão da Copa do Brasil com o Palmeiras, em 2012, mas também encaminhou o rebaixamento do time. É bom dar tempo ao tempo.



Tags: futebol

Recomendadas para você